terça-feira, outubro 18, 2005

A PEDIDO DE VÁRIAS FAMÍLIAS...

... a comunicação de José Luís Orihuela já está disponível aqui

segunda-feira, outubro 17, 2005

PARA MAIS TARDE RECORDAR

Aqui deixamos algumas fotos do II Encontro de Weblogs.
A todos os que participaram na iniciativa, que teve lugar na UBI, o nosso MUITO OBRIGADO!

Tag: 2encontro, encontro, IIencontroWeblogs, weblogs, 2005.

domingo, outubro 16, 2005

“HORIZONTES DA BLOGOSFERA” – JOSÉ LUÍS ORIHUELA




José Luís Orihuela, professor na Universidade de Navarra e autor do e-Cuaderno, deu por encerradas as actividades do 2º Encontro de Weblogs que teve lugar na Covilhã. “Dez chaves para entender o impacto dos weblogs e a loucura dos blogueiros” foi o tema da comunicação apresentada. O professor destacou assim alguns elementos que considera relevantes:
  • Killer aplications - à disposição dos internautas está um conjunto de serviços que transformaram a forma como se utiliza a rede (Technorati, Flickr, Skype, etc.) .
  • Social Media - do qual os blogues são uma parte importante mas não a única, a Wikipedia, por exemplo, por vezes” faz um trabalho mais rápido e correcto que os jornais”. Orihuela deu ainda o exemplo do moblog criado pelo jornal Público a propósito do eclipse. “Os meios deixaram de ser propriedade exclusiva dos jornalistas e das empresas de comunicação”.
  • Corporate blogging – blogues usados como ferramentas de comunicação empresarial.
  • Commercial blogging – a comercialização da blogosfera é um elemento muito importante em que importa pensar porque agora publicamos unicamente para partilhar as nossas ideias.
  • Media blogs – neste caso Orihuela deu exemplos de meios de comunicação que integraram blogues nas suas edições (Kulto, Wired blogs, The Guardian) .
  • RSS + tagging - possibilidade dos usuários da rede etiquetarem a informação para ser válida para os motores de pesquisa (Flickr).
  • Podcasting – com o podcasting os bloggers descobriram várias novidades interessantes.
  • Googleization – Um dos fenómenos mais preocupantes da actualidade na Internet é para José Luís Orihuela o poder que está a ser adquirido pelo Google e por isso ele lança a questão: Não será Google a próxima Microsoft? “Nós bloggers aplaudimos todas as novas ferramentas da Gooogle, mas devemos pensar bem sobre o assunto”.
  • Infopollution.

José Luís Orihuela assinalou ainda cinco temas que acredita possam estar em cima da mesa no próximo encontro de Weblogs, que terá lugar no Porto.

1. social networking + RSS
2. Weblogs + wikis
3. Big media + thin media
4. Search engines + social networking
5. RSS + e-mail

O autor do e-Cuaderno falou da importância dos blogues para criar comunidades onde se trocam ideias e opiniões, “com as massas isso é impossível”.

Orihuela diz ainda que “cada vez haverá mais gente que viva profissionalmente dos blogues”

O professor de Navarra falou ainda da Web 2.0, citando o exemplo da Wikipedia e salientando também a importância do RSS que “permite aproximar a rede às pessoas de forma a que a comunicação seja feita com menos ruído”. A o olhar para o futuro Orihuela assinala o aparecimento de uma blogosfera 3.0 iniciada este ano, lembrando que a 1.0 se registou entre1992 e 1999 (from What’s New in 92 to Blogger), a 2.0 entre 1999 e 2004 (from Blogger to Word of the year). Segundo Orihuela as diferenças que distinguirão o blogging 2.0 do blogging 3.0 são várias, como por exemplo a passagem do textual para o audiovisual, do pessoal para o social, do hobby para o profissional, do biográfico para o temático, etc. José Luís Orihuela não tem dúvida que o futuro da blogosfera passará pelos blogues temáticos.



Tags: 2encontro, weblogs.

“HORIZONTES DA BLOGOSFERA” – PAULO QUERIDO



“Para onde vai a liberdade?” foi a questão lançada por Paulo Querido (Mas certamente que sim!). “Quando somos levados a falar sobre a liberdade cada um pensa na sua e o discurso será diferente no caso de ser proferido por um chinês, um americano ou um africano”, refere.

“Os portugueses que blogam desconfiam do poder político e mediático e por isso querem marcar a agenda dos jornais”, adianta.

Paulo Querido diz que “se falamos da liberdade enquanto direito fundamental e como cerne da democracia, a blogosfera é um instrumento de democratização de acesso, mas se falarmos na liberdade de informação então esta pode ou não estar presente no blogue”.
O RSS foi também um dos temas focados por este blogger. O Real Simple Syndication é para Paulo Querido “uma tecnologia libertadora porque nos liberta de determinadas tarefas e vai permitir ainda outras coisas. Podemos escravizar as máquinas e isso implica conhecimentos de programação”. É de esperar que surjam nos próximos meses, na Internet, agentes que, programados por nós, façam tarefas com maior ou menor amplitude. “É até possível que alguns agentes possam publicar por nós”.

Querido lembrou casos em que através dos blogues foi exercida a liberdade como expressão efectiva da cidadania. “O debate sobre a OTA e sobre a Constituição Europeia foram muito importantes na blogosfera”. Este blogger não esquece contudo questões como a notoriedade, a identidade, o anonimato, as pessoas incógnitas (desconhecidas) e a questão da relevância (ser lido é uma coisa, ser relevante, é outra).

“A mim não me passa pela cabeça fazer jornalismo no meu blogue porque esse espaço é para dizer o que penso e dar a minha opinião sobre os assuntos que me apetecer”, explica.

Mas afinal para onde vai a liberdade? Paulo Querido diz que “vai para o equilíbrio entre o lado bom que estamos a viver agora e o lado negro que invariavelmente as tecnologias acarretam”.

Tags: 2encontro, weblogs.

sábado, outubro 15, 2005

"A BLOGOSFERA VISTA PELA BLOGOSFERA" - CONCLUSÕES DOS GRUPOS DE TRABALHO



Weblogs e Ensino
Coordenador: Rogério Santos

No caso concreto do Ensino, Rogério Santos, responsável pelo blogue Indústrias Culturais, falou dos blogues como uma forma de comunicação entre professores e alunos. Dos blogues ligados ao Ensino Superior, Rogério Santos citou, entre outros, o Ponto Media, o Jornalismo e Comunicação, o JornalismoPortoNet Weblog, a Aula de Jornalismo, Espaço Público e o NetFM. Para além de questões relacionadas com o Ensino estes são também espaços de discussão pública sobre os media e o jornalismo, por exemplo.
“Muitos destes blogues não têm um vínculo às próprias instituições, o que me parece errado”, refere Rogério Santos. Os blogues podem ser uma forma de promoção da própria universidade.

Os blogues permitem partilhar conhecimento na web de uma forma instantânea. O curioso é que, normalmente, os alunos mais tímidos partilham muito mais ideias através da escrita num blogue. Outra vantagem apresentada é a consulta permanente e a possibilidade de avaliar os progressos ao longo do tempo. O professor deve demonstrar que a participação no blogue será objecto de análise. É possível uma grande interactividade e colaboração.

O blogue deve ser uma ferramenta usada por alunos e professores, mas não a única ferramenta electrónica utilizada.




Weblogs e Cultura
Coordenador: Jorge Bacelar


Jorge Bacelar, um dos responsáveis pelo “Blogue dos Marretas”, considera que os blogues culturais são pontos de encontro de pequenas comunidades que partilham interesses muito específicos.

Uma das questões abordadas por este grupo de trabalho foi a dos direitos de autor. “A partir do momento em que publicamos tornamos algo público, mas trata-se de uma questão que deve ser referida, porque há uma preocupação generalizada com esta matéria”, refere o coordenador, que lembrou ainda problemas relacionados com a auto-regulação.

Este grupo de trabalho falou no interesse em “criar um espécie de Torre do Tombo para blogues onde toda a informação pudesse estar disponível para os estudiosos do futuro”.

“Nesta área da cultura há experiências interessantes de escrita participativa, conseguida a «várias mãos»”, acrescenta Bacelar. “Estamos no meio de um fenómeno e não sabemos onde isto vai dar. Só dentro de uns anos teremos distanciamento suficiente para analisar estas questões”, termina.



Weblogs e Política
Coordenador: Pedro Mexia


“Os blogues são isto ou aquilo é uma frase errada”, refere Pedro Mexia que em tempos esteve ligado ao blogue de direita “A Coluna Infame”.
Pedro Mexia lembrou que “a blogosfera portuguesa começou por ser política, muito ligada a toda a nova ordem mundial pós 11 de Setembro”.
Como os media são um espaço limitado há sempre quem ache que não está representado nas colunas de opinião. “Este é normalmente o discurso de justificação dos bloggers políticos para a criação de um espaço próprio”, explica Mexia. Houve quem criasse blogues como factor de correcção dessa lacuna e houve depois o caso curioso de os jornais irem buscar bloggers para as suas colunas de opinião.
“Há três anos que há posts a explicar o liberalismo. A ideia de que há pessoas a discutir política pura é interessante. Depois começaram a entrar pessoas mais ligadas aos aparelhos partidários, com todo o direito”, lembrou o coordenador deste grupo.
Pedro Mexia falou ainda dos blogues políticos como instrumento de polémica. “Nunca terei um blogue com comentários. Acho que os comentários abrem a porta ao pior da natureza humana, à calúnia, ao insulto e às insinuações”, refere.

Há também uma questão que tem a ver com o facto de os blogues serem ou não espaço público e aqui Pedro Mexia falou em três pontos:
1. Questão deontológica – deveria ou não haver regras deontológicas, tais como na imprensa? Afinal quem é o responsável?

2. Forma como jornalistas (políticos) que não têm um espaço de opinião, têm blogues e comentam através deles as notícias que os seus jornais dão.

3. Pessoas que multiplicam as suas formas de intervenção e aqui os bloggers são também opinion makers.

Nuno Jerónimo (Blogue dos Marretas), membro deste grupo, lembra que os primeiros blogues políticos que apareceram eram colectivos. “A ideia de uma comunidade de interesses se organizar permite que o acompanhamento diário das notícias seja facilitado”. Mas nem tudo é positivo, como no caso do Barnabé, em que as discussões internas levaram ao fim do blogue.

No âmbito da política foi ainda referida a utilização dos blogues pelos candidatos nas últimas eleições legislativas.



Weblogs e Jornalismo
Coordenador: Luís Santos


Luís Santos, autor do Atrium refere que quase todos os blogues portugueses na área do jornalismo dispõem de sistema de comentários.
O coordenador distinguiu várias categorias de weblogs nesta área:
  • Weblogs que acrescentam informação adicional;
  • Weblogs que acompanham o funcionamento dos media, e que se situam entre o watchdog e o provedor;
  • Weblogs de jornalistas sobre a sua própria actividade profissional;
  • Weblogs de jornalistas ligados às empresas como os que foram criados pelo jornal Público;
  • Weblogs para formação ou sobre formação em jornalismo.

Luís Santos apontou algumas mudanças do ponto de vista técnico, verificadas nos últimos anos que permitiram ao utilizador uma maior facilidade na actualização e apresentação do seu blogue. O autor do Atrium falou ainda da importância da existência de leitores de RSS, um tema constante em praticamente todas as apresentações.

O grupo de trabalho de Jornalismo falou também da existência de uma “pedagogia da discordância, pelo menos nesta área”, explica Santos. “As pessoas passaram a ter discussões prolongadas”. O coordenador diz que um grande número de comentários deixou de estar associados a nicknames ou anónimos e citou António Granado (Ponto Media) para dizer que “não se responde a anónimos”.

“Os blogues tornaram-se fontes de informação mais credíveis”, acrescenta, mas ainda não foi percorrido grande parte deste caminho.

Foi referido o exemplo do conceituado jornalista brasileiro – Ricardo Noblat – que passou a ter um blogue onde faz jornalismo, ou seja, passou a dar notícias num formato blogue. A questão que se pode colocar é: será isto jornalismo ou não?
“Um optimista como Gillmor diria que é bom ter jornalistas sozinhos a fazer jornalismo, mas todos sabemos que o relacionamento numa redacção não é o mesmo que à distância e todos sabemos que existem constrangimentos da redacção relacionados com uma orgânica própria importantes para o exercício da profissão”.

Uma coisa é certa “os blogues podem exercer uma vigilância activa sobre o jornalismo”, conclui.



Weblogs no contexto organizacional
Mónica André

Mónica André (B2OB) diz que resolveu criar um weblog para ver se a ferramenta era fácil ou não de utilizar e passou a recolher tudo o que achasse necessário sobre o contexto organizacional.

Nos weblogs a sensação de distância é diminuta ou irrelevante. “Com as possibilidades da Internet, “as conversas surgem à escala global, o importante é pôr as pessoas a falar e a trocar ideias”, refere. Segundo a coordenadora deste grupo é importante falar de sentido de comunidade porque “rapidamente se faz parte de uma comunidade internacional”.

Mónica André falou da importância da partilhar e disponibilizar informação, citar o que os outros estão a fazer de bom. A coordenadora deixou no ar algumas questões:

  • Quem são as pessoas dentro das organizações que devem ter blogues? Todas ou apenas algumas?
  • Implementar weblogs numa organização interessa a quem?

Mónica André considera que “há alguma resistência em implementar weblogs nas organizações porque isso torna visível o que as pessoas não fazem”.



Weblogs e Imagem
Coordenador: José Carlos Abrantes
Conclusões apresentadas por Ricardo Bernardo


Ricardo Bernardo (Zone 41) apresentou as conclusões do grupo de trabalho Weblogs e Imagem, que teve como coordenador José Carlos Abrantes. Foi abordada a questão do direito das imagens reproduzidas em blogues. “A disponibilização de imagens em weblogs está na facilidade ou não em utilizar determinadas ferramentas. “Em Portugal, os fotoblogs, por exemplo, não têm o peso que têm no Brasil”.

Foi ainda focado o design dos webblogs e a possibilidade dos criadores de design gráfico terem aqui uma fonte de rendimento. Para a maioria das pessoas, a dificuldade está em tornar o layout mais personalizado, pois isso depende dos conhecimentos de cada um em utilizar determinadas ferramentas. “A dependência das ferramentas limita muito o que fazemos. Quem tem acesso a outras plataformas pode ir mais longe”, acrescenta Bernardo.

Foram citados blogues como “A Cidade Surpreendente”, um blogue de imagens sobre a cidade do Porto. “Existem weblogs reflectem sobre as imagens e sobre o lugar que elas ocupam”, explica Ricardo Bernardo. A propósito do blogue de João Lopes e Nuno Galopim (Sound + Vision), este grupo associou ainda a imagem ao cinema e à música.

De que forma a inclusão de tecnologias nos blogues pode aumentar a interactividade ou destruir a estrutura actual dos blogues? – foi uma das questões levantadas já em tempo de debate, assim como a possibilidade ou não de o texto nos blogues ser substituído pela imagem estática ou pela imagem em movimento. A esta questão João Canavilhas, organizador do Encontro, responde que o texto é, neste momento, o aspecto central destes dispositivos, mas não esquece o sucesso de alguns blogues - como o Xupacabras - em que a fotografia se assume como tema central.



Tags: 2encontro, weblogs.

“DE OLHO NA BLOGOSFERA” – LEONEL VICENTE



Leonel Vicente, autor do blogue Memória Virtual, apresentou uma comunicação intitulada “Da pré-história ao futuro – O pulsar dos diários virtuais em Portugal”.
Foi assim apresentada uma cronologia de datas chave que marcaram a blogosfera em Portugal. “É inegável que Pacheco Pereira tem um papel importante na afirmação da blogosfera em Portugal, pois ele contribuiu para atrair a atenção de muitas pessoas para o fenómeno dos blogues”, referiu Leonel Vicente. Para este blogger há dois factores cruciais que distinguem os blogues de outros meios: o facto de estes serem regularmente actualizados e a possibilidade de interacção entre autores e leitores.

Vicente lembrou as datas de aparecimento de blogues marcantes como “A Coluna Infame”, precisamente há 3 anos (apesar do blogue ter terminado poucos meses depois), Íntima Fracção, "Blogue de Esquerda", "Blogue dos Marretas", "Gato Fedorento", "Abrupto", "O meu pipi", "Almocreve das Petas", "Aviz", "Socioblogue", "Terras do Nunca", "Muito Mentiroso", "Causa Nossa", entre muitos outros. Leonel Vicente fez ainda referência a acontecimentos importantes como o I Encontro de Weblogs, o aparecimento do primeiro livro sobre blogues em Portugal, da autoria de Paulo Querido e Luís Ene, a repercussão que determinados acontecimentos tiveram nos blogues como por exemplo “o arrastão” e a recente “micro-causa”. Numa alusão à blogosfera política, Leonel Vicente referiu que “os blogues políticos são no geral os que têm mais audiência, por debaterem uns com os outros”.

Quanto ao futuro, “ainda estamos no início de um longo processo”, referiu o autor do “Memória Virtual”, “há muitas portas abertas, as novas tendências podem passar pelos moblogs, pelos videoblogs”, etc. O RSS será um pilar de desenvolvimento destes dispositivos.

Em tempo de debate, José Carlos Abrantes referiu, em jeito de sugestão, a necessidade de, num próximo encontro serem convidadas pessoas para além de bloggers, de forma a alargar o debate a outros campos sociais.

Tags: 2encontro, weblogs.

"DE OLHO NA BLOGOSFERA" - MANUEL PINTO



A primeira sessão do II Encontro de Weblogs “De olho na Blogosfera” contou com a participação de Manuel Pinto (Jornalismo e Comunicação) e Leonel Vicente (Memória Virtual).

Manuel Pinto apresentou um estudo comparativo com o resultado dos inquéritos feitos no primeiro e no segundo encontro de weblogs. As conclusões gerais retiradas desta análise foram as seguintes:

  • Tendência para o equilíbrio entre bloggers homens e mulheres;
  • Peso significativo das pessoas com formação superior;
  • Um fenómeno que perdeu o encanto da novidade e entrou em velocidade cruzeiro;
  • Um fenómeno que envolve um tempo significativo na vida quotidiana;
  • Os bloggers participam sobretudo para dizer o que lhes vai na alma e para partilhar ideias, mas por outro lado a blogosfera serve para informar e intervir na sociedade;
  • Face aos media profissionais a blogosfera assume-se mais como um complemento do que como alternativa.

A propósito dos estudos feitos pelo Mediascópio – que se dedica a analisar as tendências no campo da comunicação e dos media em Portugal e que integra o Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho – Manuel Pinto sublinhou a importância dos blogues como fontes de informação: por um lado, como uma nova fonte dos media (mesmo quando eles não reconhecem e citam essa fonte), por outro, como uma nova fonte para os cidadãos e para os próprios bloggers. Salientou-se ainda o papel de monitorização do meio envolvente em primeiro lugar pelo acompanhamento dos vários campos da vida social e do escrutínio público do jornalismo e dos media, feito pelos blogues. Para referir o papel destes dispositivos como espaço de debate e intervenção foi lembrado o processo, que ainda decorre, e que envolve mais de 60 blogues que se uniram para contestar um determinado comportamento do jornal Público. Manuel Pinto lembrou ainda o papel dos blogues como ferramenta pedagógica e espaço de aprendizagem, e a blogosfera como laboratório de ideias e tendências.
No final da sua apresentação Manuel Pinto deixou um conjunto de questões que merecem ser debatidas e que passamos a reproduzir:

  • Corporiza a blogosfera uma pluralidade de vozes no espaço da Internet? E representam essas vozes uma efectiva conversação e debate público? Ou será antes uma “Babel”?
  • Como poderão evoluir as relações entre a mediasfera e a blogosfera? Em particular: que relação entre a informação dos blogues e a dos media profissionais?
  • Como se opera o reconhecimento dos blogues entre os seus pares?
  • Numa análise da sociedade, onde devem ser posicionados os blogues? No sistema mediático? No panorama comunicacional? Nos estilos de vida?
  • Que significado cultural devemos atribuir à lógica da escrita nos blogues (posts – fragmentos – flashes – sinalizações)?
  • Como caracterizar o universo dos comentários? Quem comenta o quê?
  • Como se usa o hipertexto?
  • Como se preserva a memória? Deveria haver um depósito obrigatório, público? Deveria haver cuidados privados?
  • Promoção de uma cultura de auto-regulação? Um código de ética na blogosfera?


Tags: 2encontro, weblogs.

sexta-feira, outubro 14, 2005

BEERS § BLOGS

Reunião informal de bloggers no bar "Espaço Covilhã"









Tags: 2encontro, weblogs.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Depois da primeira reunião dos grupos de trabalho teve lugar a sessão de abertura do II Encontro de Weblogs, que contou com a presença de Mário Raposo, vice-reitor da UBI, Paulo Serra, presidente do Departamento de Comunicação e Artes, João Canavilhas, organizador da iniciativa, e Ricardo de Araújo Pereira (Gato Fedorento). Da intervenção bem humorada deste último salienta-se a ligação estabelecida entre blogues e democracia. Ricardo de Araújo Pereira vê os blogues como “um complemento da própria democracia”, uma forma de as pessoas darem a sua opinião através da escrita.
Aqui ficam algumas imagens deste primeiro dia.







Tags: 2encontro, weblogs.

CHEGOU O GRANDE DIA

Dentro de poucas horas tem início o II Encontro de Weblogs.

PROGRAMA FINAL

Sexta-feira – 14 de Outubro - Anfiteatro 1
14h00 – Recepção e Acreditação
16h00 – Início das actividades dos Grupos de trabalho
18h30 – Sessão de Abertura............-
.......... Mário Raposo
- Vice-reitor da UBI............-
.............Paulo Serra - Pres. do Dep. de Comunicação e Artes............-
.......... Ricardo Araújo Pereira
(Gato Fedorento)
22h00 - Beers § Blogs - Espaço Covilhã

Sábado – 15 de Outubro - Anfiteatro 1
10h00 – Continuação das actividades dos Grupo de Trabalho
11h00 - Sessão 1 – De olho na blogosfera..............
..........Leonel Vicente
(Memória Virtual).............
.......... Da "pré-história" ao futuro:
.......... O pulsar dos diários virtuais em Portugal
.......... Manuel Pinto (Jornalismo e comunicação)
.......... Um olhar e algumas notas sobre dois anos da blogosfera em Portugal
12h30 – Intervalo para almoço
14h00 – Sessão 2 – A blogosfera vista pela blogosfera
.......... 1. Weblogs e Cultura...
.......... Coord. Francisco José Viegas (A origem das espécies)
.......... 2. Weblogs e Política
.......... Coord. Pedro Mexia (Estado Civil)
.......... 3. Weblogs no Ensino
.......... Coord. Rogério Santos (Indústrias Culturais)
15h45 – Intervalo para café
16h00 – Sessão 2 – A blogosfera vista pela blogosfera
.......... 4. Weblogs e Jornalismo...
.......... Coord. Luís Santos (Atrium)
.......... 5. Weblogs no Contexto Organizacional
.......... Coord. Mónica André (B2OB)
.......... 6. Weblogs e Imagem
.......... Coord. José Carlos Abrantes (As Imagens e Nós)
17h45 – Intervalo para café
18h00 – Sessão 3 – Horizontes da Blogosfera...............
.......... Paulo Querido (Mas certamente que sim!...............
.......... Para onde vai a Liberdade?
..........José Luís Orihuela (E-cuaderno)
.......... Blogosfera 2003-2005:
.......... Diez claves para entender el impactode los weblogs, la locura
..........de los bloguers y el futuro de los blogs como medio.

21h00 – Jantar Hotel Meliá D. Maria (incluído na inscrição)
24h00 – Festa Weblog - Espaço Covilhã

quinta-feira, outubro 13, 2005

NOVA APOSTA DA YAHOO

Com o aumento do interesse da populção norte americana por blogues e fontes de informação alternativas, a Yahoo disponibilizou recentemente blogues no seu motor de busca de notícias, ficando a lista dos mesmos colocada em caixa própria à direita.
Segundo o Comunicar a Direito, trata-se do reconhecimento de um público crescente que não se satisfaz com a oferta informativa e editorial dos jornais, das revistas ou dos meios audiovisuais.

quarta-feira, outubro 12, 2005

FALAR DE BLOGUES

Falar de blogues no feminino” é o primeiro de três colóquios a ter lugar na Livraria Almedina, no Atrium Saldanha, em Lisboa. A iniciativa realiza-se amanhã, às 19 horas, e conta com a participação de Carla Quevedo, autora do blogue Bomba Inteligente, Isabel Goulão, autora do blogue Miss Pearls, Isabel Ventura, mestranda em Estudos sobre as Mulheres e Patrícia Antoniete, co-autora do blogue brasileiro Megeras Magérrimas.
Sobre que assuntos falam as mulheres na blogosfera? Que motiva as autoras dos blogues? Que dados têm sobre quem as lê? Haverá especificidades da intervenção das mulheres na blogosfera? Estas são apenas algumas das questões a que se procurará dar resposta.